BIÓPSIA DO LINFONODO SENTINELA NO CÂNCER DE MAMA

A avaliação do linfonodo (íngua), axilar é de extrema importância no manejo do câncer de mama. A ausência ou presença do linfonodo sentinela é fator prognóstico, afetando a sobrevida e o manejo terapêutico. Antigamente, o esvaziamento axilar completo era o procedimento padrão nas cirurgias mamárias, mas na grande maioria das vezes evoluía com complicações: inchaço do braço, diminuição de força do braço, limitação funcional do braço.

O linfonodo sentinela por ser menos invasivo e com menor riscos de comorbidades pós-operatórias, tornou-se o procedimento padrão na grande maioria dos procedimentos de câncer de mama.

O linfonodo sentinela corresponde ao primeiro linfonodo a receber a drenagem linfática da mama, e sua retirada serve como uma amostragem do restante de todos os linfonodos da axila, evitando dessa maneira esvaziamentos completos desnecessariamente. A cadeia linfática funciona como um sistema de filtragem do sangue e os linfonodos como barreiras desse sistema de filtragem.

Um exemplo muito comum, é quando temos infecção de garganta, apresentamos aumento das ínguas do pescoço, e assim funciona também com o câncer.

Pacientes com tumores pequenos na mama e sem ínguas palpáveis na axila,
geralmente são pacientes com boa indicação para realização da técnica de linfonodo sentinela. Pacientes que tem contraindicação de realização de linfonodo sentinela são:

  • Pacientes que no exame clínico apresentam ínguas axilares volumosas e palpáveis;
  • Tumores de mama volumosos (geralmente >5cm), e tumores inflamatórios (pele da mama fica toda avermelhada);
  • Cirurgia mamária ou axilar prévia de grande porte;
  • Doença em vários locais da mama (multicêntricos);
  • Radioterapia mamária ou axilar prévia.

Antes da cirurgia, todas as pacientes devem ser comunicadas da possibilidade do esvaziamento axilar completo se o linfonodo sentinela não for encontrado, ou se no exame de congelação realizado no intra-operatório o resultado for positivo.

Durante a cirurgia o médico patologista fica na sala de cirurgia e o linfonodo sentinela ressecado passa por uma avaliação inicial conhecida como congelação, e este resultado determina se a cirurgia termina ou procedemos para o esvaziamento axilar completo.

TÉCNICA DO LINFONODO SENTINELA (AZUL PATENTE)

Injeta-se na região da aréola um corante conhecido como azul patente, e após a injeção massageia-se a mama por 5 minutos para que o azul percorra os ductos linfáticos. Posteriormente realiza-se uma incisão na região axilar, identificando o linfonodo sentinela corado de azul, e este é enviado para congelação.

TÉCNICA DO LINFONODO SENTINELA (CINTILOGRAFIA)

Uma pequena quantidade de material radioativo é injetada na mama, e irá percorrer os ductos linfáticos da mesma maneira descrita na técnica do azul patente. Realiza-se um exame de imagem para identificação do linfonodo sentinela e se faz uma marcação na pele. Durante a cirurgia utiliza-se um medidor de radiação conhecido como gama-probe, que auxilia na identificação do linfonodo sentinela.

Para maiores informações sobre câncer de mama, acessem outros artigos em:

Ou se preferir, entre em contato conosco nos telefones 3341-2373
ou 99845-3534.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin